A Catsaridafobia


Barata, baratinha, baratão 
Pense num bicho cascudo
Assim que ela passa no salão
Eu logo me sacudo.

Ô bicha nojenta
Praga de Noé
Que me atormenta
 E testa a minha fé.

Me arrepia o pelo da nuca
Quando ouço o seu barulho
E já fico logo maluca
Segurando um pedregulho.

Quando este ser aparece
Minha sanidade é testada
Teço uma prece
Muito bem falada.

Fui diagnosticada pelo doutor
Falou que é Catsaridafobia
Deu-me uma dor
Ao saber que não me curaria

Coração disparando
Nessa eterna agonia
Com a voz proferindo
Essa maldita fobia.

E aqui termino minha rima
Pois a bendita já apareceu
Terminou-se o clima
Que tomou conta do meu eu.

2 comentários

  1. Hahaha que poeminha bonitinho pra falar de um bicho tão asqueroso! Urgh, chega dá arrepio só de falar nela :(((

    ResponderExcluir
  2. Olá Juliane! Adorei o poema! Só você mesmo para fazer um poema lindo para um bichinho tão feinho. Beijos'

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.